(19) 3806-3679 | 3806-6885

(19) 3806-3679 | 3806-6885

Notícias

Números do comércio pela internet em São Paulo

Alguns números chamaram a minha atenção na reunião bimestral dos administrados de e-commerce do Estado de São Paulo. Levantamento feito pelo SPC Brasil e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), aponta que 27% dos entrevistados já usam aplicativos com frequência para consumir. A venda de produtos usados está entre os produtos mais populares.

A pesquisa aponta que, quase três, entre cinco consumidores brasileiros (59%) com acesso à internet, já usaram um aplicativo para comprar algo. Ainda de acordo com o levantamento, 27% dos consumidores conectados têm preferência em usar apps para realizar compras.

Isso demonstra uma tendência de ter acesso mais rápido e fácil à mão, não sendo necessário digitar ou lembrar endereços. A revelação é que os aplicativos estão sendo usados não apenas para comparar valores, mas também para a comprar itens.

Foram ouvidos 673 internautas das 27 capitais que compraram por meio de apps no último ano. As plataformas mais usadas pelos consumidores são relacionadas à compra e à venda de produtos usados, como Mercado Livre, Enjoei, OLX e outros (46%).

Um setor que chamou muito a minha atenção foi o de serviço de motorista particular ou táxis (45%). Em segundo lugar, vem as lojas varejistas nacionais (42%), seguido pelos aplicativos de ofertas e descontos, como Peixe Urbano e Groupon (31%). Um setor que também está crescendo muito são os serviços de streaming, como Netflix e Spotify (31%) e de comida com entrega em casa (29%), os deliveries.

Identificamos que o acesso mobile é uma tendência irreversível. Assim, todos concordam que as empresas comerciais precisam desenvolver experiências que cativem e atraiam os consumidores, além de criar o engajamento, em que entra o desenvolvimento de mídias específicas para as redes sociais.

Observando os números da pesquisa, podemos afirmar que o uso dos aparelhos celulares é o futuro para as compras via web, assim como para engajamento de pessoas em suas empresas.

E as coisas não param por aí. Vejam ainda: a pesquisa apontou que o WhatsApp já foi usado por 39% dos entrevistados que precisavam se comunicar com a loja ou o vendedor no processo de compra. Cinco a cada dez consumidores (52%) que usaram o aplicativo de mensagens para transações foram respondidos todas as vezes em que entraram em contato com uma loja ou vendedor por conta de uma dúvida.

59% já realizaram uma compra pelo app. Desses, 15% dizem ter escolhido o programa por se sentirem mais seguros, pois acreditam ter contato direto com o vendedor. Outros 15% consideraram o fato de não precisarem sair de casa e 14% levaram em conta a possibilidade de receber imagens e vídeos dos produtos antes da compra. Os produtos mais comprados pelo aplicativo são: comida entregue em casa (23%), roupas, calçados e acessórios (22%) e cosméticos e perfumes (15%).

Esses números nos colocam em um ponto crucial: o consumidor precisa de mais atenção e alguns já entenderam o potencial dos aplicativos como forma de dar mais atenção ao seu cliente, seja para falar ou ouvi-los, e passaram a usar os aplicativos na hora de resolver problemas, criar interesse e gerar mais fechamentos de negócio.

Bem, veja como está sua empresa e pense em como essas novas ferramentas podem fazer a diferença. Busque solucionar os problemas e facilitar a vida de seus clientes e, com certeza, terá resultados melhores.

Boa semana!

VEJA TAMBÉM

Mudanças que não percebemos

Todos sabem que gosto muito de fotografia. Esse gosto como forma de transformar amor em rentabilidade, associado sempre a outros…

Em meio à crise fazer ou não publicidade?

Incertezas pairam sobre os brasileiros, numa época em que a crise atingiu a todos, independente de classe social. Diante da…

Um Projeto que nasceu para valorizar nossas tradições

Esta semana, fui perguntado sobre o Polo Gastronômico de Mogi Mirim, isso me fez lembrar que desde a época dos…

Como viver melhor e sem estresse

Por conta do trabalho, tenho visitado muito o Haras Classic, que vem desenvolvendo diversas atividades e tem planos ambiciosos para…